Patrocinador


A morte a espreita

A morte a espreita




Caminhando pela rua que não te existe mais
Alcoolizada pela insanidade.
Distraída pelo álcool venenoso,
Vermelho que te ofereceste.
Sem resistência tomou-o da minha mão
a taça trincada
com cores embaraçadas.
Pois jaz fostes tomadas por outras almas
Que numa distração todas
exceto,você!Não por resistência e sim por sorte
A taça da morte caiu em pedaços naquele dia
E você não fostes levada ao mesmo destino
Que sorte a sua escapar a própria morte
Naquele dia!
Naquele dia certo eu
Estava jaz te esperando
Na esquina.
Mas por ali menina você não passou
Você me enganou.

Mas hoje seu dia.

Menina de tranças no cabelo,
Olhar inocente,porém não resistente.
Hoje te espio pela janela entre aberta
A entrar e te levar
A sussurrar seus segredos
e me contar seus medos
Mas quem está com medo
Sou eu
Pois vejo que és tão jovem
E sinto pena,porque terias
um caminho longo a percorrer
Sinto muito!
Mas seu espírito jaz me pertence.
Pois esse é meu e seu castigo
Sou minha e sua condenação
Para alguns sou a salvação.
Mas que fique bem claro!
Tenho uma lei a seguir
Não levo ninguém ao suicídio.
Pois meu dever é levar quem já cumpriu seu tempo.

Mas mesmo assim eu fico te admirando
Pela fresta da janela te espiando
Seu corpo tão belo nu quarto
Iluminado ela luz da lua
esperando pelo seu amado.
vejo que deitas sem nenhuma oração
e seu olhar está profundo,
seu peito está doendo,
sua respiração está tão fraca,
Aí é que eu meu aproximo
De seu corpo jaz nu lençol
Molhado com seu suor.
Ouço você me chamando
Com um leve suspiro.
Jaz podes me ver
Aproximo de seus lábios carnudos
Para ouvir o que tens a me dizer
Levo o meu dedo em seus lábios
Peço te silêncio faço o sinal da santa cruz em sua
+testa+boca+peito e um em nome do Pai
E aviso te que seu viúvo esta chegando
E que você seja breve suas palavras
Pois a luz jaz esta a sua espera
Vejo um desespero que entra quebrando a porta
E chamando pelo seu nome
implorando te por resistência
Ao menos chega a tempo de seu último suspiro
Seu espírito jaz deixa seu corpo nu lençol
Manchado pela sua alma breve
Que foi levada por mim.
E eu fui sua doença maligna .
E agora sou seu Salvador.
E seu guia que te conduz para luz.

Eu sou a Morte
Eu sou a Vida
E estou em todos os lugares.
Eu sou o que você imagina que sou
e como sou


Vjarski

0 comentários:



Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget